Onze maneiras de controlar a vontade de comer doces

Onze maneiras de controlar a vontade de comer doces

As guloseimas estão entre as principais vilãs de qualquer dieta, mas algumas estratégias ajudam a diminuir o desejo por açúcar

doces

É possível driblar a vontade de comer doces e até diminuir seu consumo, sem muito esforço, basta colocar um princípio fundamental da dietoterapia na alimentação, ou seja, diminuir a vontade do doce com outro sabor relatado mais a frente, e isso ocorrerá sem sacrifícios.

Estava a pouco lendo uma matéria em uma grande revista que tinha justamente o título acima, resolvi acrescentar então mais, muito boa por sinal pois nesta não a havia encontrado.

Doces estão diretamente ligados a uma ideia de felicidade, sabemos disso, pois temos a  presença dele marcado em muitas comemorações. E sabemos também que ajudam a minimizar os momentos estressantes ,segundo os mais havidos de plantão por esse sabor. Segundo eles “num dia árduo de trabalho nos é merecido muitas vezes como prêmio uma graciosa fatia daquele bolo delicioso”.

De fato, o que todos sentem a ciência prova: além de fornecerem energia ao organismo os doces estimulam a produção de um hormônio ligado ao bem-estar, a serotonina, provocando uma sensação de prazer quase tão viciante quanto uma droga, sensação tão intensa que quando isso ocorre se quer cada vez mais. E é por isso que as guloseimas, calóricas e muitas vezes cheias de gordura, estão entre as piores vilãs de qualquer dieta.

Segundo Cintia Cercato, endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), o maior aliado nessa tarefa é o exercício físico, que além disso, ajudam a controlar o estresse e a  ansiedade, diminui a ânsia pelas guloseimas. “Algumas pessoas usam os doces como antidepressivos”. Então, ter uma boa vida afetiva contribui para que a pessoa não desconte a frustração nos doces”, afirma a endocrinologista Gláucia Carneiro, da SBEM.

Mas para quem quer diminuir esse consumo vamos às onze dicas ali elencadas, a última, a décima segunda é um presente da milenar sabedoria oriental da dietoterapia chinesa, que além de explicar por que ocorre essa vontade excessiva, ajuda a minimizá-la e a fortalecer o organismo de todos os que adoram doce e não podem ficar sem.

Dica 1  Diminua o consumo aos poucos

Para a maioria das pessoas, cortar doces de uma vez pode provocar uma espécie de abstinência, que levará a um posterior abuso de açúcar. Por isso, o ideal é parar gradativamente: comer doces por cinco dias na primeira semana, três na semana seguinte, até atingir a cota de um dia da semana.

Dica 2 Beba pouco líquido durante as refeições

Tomar líquido durante a refeição faz com que a comida se mova mais rapidamente do estômago para o intestino. Como a presença de comida no estômago é o que promove a sensação de saciedade, misturar líquido com sólido pode causar fome. Comer devagar, mastigando bastante os alimentos, também contribui para que o organismo se sinta satisfeito e esqueça qualquer vontade de comer doces.

Pratique atividade física

É comprovado: além de todos os benefícios que traz à saúde e à estética, a atividade física ainda diminui a vontade de comer doces. Estudos mostraram que, logo após se exercitar, as pessoas se sentem menos propensas a comer alimentos ricos em carboidratos, açúcar e gordura. A atividade física estimula a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar no organismo — o mesmo efeito causado pelo consumo de doces.

Evite olhar para os doces

O simples fato de ter um doce apetitoso ao alcance do olhar já é suficiente para despertar no organismo o desejo pela guloseima.

Estabeleça um horário para as refeições

Ficar muitas horas em jejum faz com que o organismo busque uma fonte rápida de energia para manter seu funcionamento – com fome, dispara a vontade de comer carboidratos e açúcares.

Aposte nas fibras e nas proteínas

Alimentos ricos em fibras e proteínas ajudam a prolongar a sensação de saciedade no organismo – logo, são aliados no combate à vontade de ingerir doces. Consuma fontes proteicas como ovos, peixes e carnes magras, e fibrosas como frutas, legumes e verduras.

Prefira comer doces logo após a refeição

Se a vontade por um doce for incontrolável, a recomendação é comer uma sobremesa na próxima refeição. O perigo de exagerar é menor pois o organismo já estará saciado.

Consuma carboidratos com moderação

A ingestão de alimentos ricos em carboidrato, como pães e massas, libera insulina no sangue. Esse hormônio ativa a região cerebral responsável pela sensação de fome, aumentando o apetite.

Tome café da manhã

Pular o café da manhã pode aumentar o desejo por guloseimas. Como a refeição é a responsável por fornecer energia para o organismo começar o dia, ignorá-la pode fazer com que o organismo busque outras fontes rápidas de energia, como o doce.

Troque um doce por uma fruta

O açúcar dos doces é chamado de sacarose, e o das frutas, frutose. Enquanto a sacarose tem absorção rápida, a frutose demora mais para ser absorvida pelo organismo, o que prolonga a sensação de saciedade. Por isso, sempre que possível, é melhor trocar um doce por uma fruta.

Controle a ansiedade e o stress

Doces liberam serotonina, hormônio que causa a sensação de bem-estar. Assim, muitas vezes acabam sendo usados como antidepressivos. Então estes fatores devem ser controlados.

Dica 12 Experimente alimentos ácidos e só depois um pouquinho de doce

Alimentos doces segundo a fitoterapia chinesa, são muito procurados por quem tem o sistema Baço-pâncreas estômago (elemento terra) enfraquecido, por isso buscam aquilo que lhes faria bem. No equilíbrio um pouco de doce já proporciona a satisfação energética desses sistemas trazendo vitalidade ao organismo. Mas no desequilíbrio, busca-se exageradamente aquilo que lhe faria bem, causando um bem estar momentâneo, mas que ao fim aumentam ainda mais o desequilíbrio e a vontade de comer mais doces. Por isso, quando estiver com muita vontade de comer experimente alimentos ácidos, como limão, laranja, abacaxi entre outros, pois estes segundo a dietoterapia chinesa tem o poder de influenciar de tal forma o fígado e a vesícula biliar ( elemento madeira) e estes agiriam sobre o sistema baço-pâncreas estômago, fortalecendo-o , equilibrando-o e aumentando sua vitalidade e com isso naturalmente, sem sacrifícios a vontade de comer doce é diminuída de maneira drástica, pois agora você alimentou diretamente os órgãos e vísceras que estariam “fracos” e eles não mais necessitam de tanto doce como precisavam no início. Tente,  você se surpreenderá.